Follow by Email

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Magia do Caos

Neste meu primeiro Blog aqui falarei sobre Magia do Caos:

Magia do Caos nasceu de sua teoria, ou Teoria da Magia do Caos - TMC,  conforme Peter J. Carroll formula no seu livro "Liber Kaos", o qual fiz um estudo sobre publicado na Editora Clube de Autores. A distinção desta linha de atividades às outras existentes é no seu paradigma e a aplicação deste nas suas práticas.

Apesar de surgir no Hemisfério Norte, a ênfase num mote é o recurso principal para englobar magia de TODAS as origens. Isso mesmo: TODAS. Metaclypse o Jovem, ou Gregory Hill, nascido em 21 de maio de 1941, falecido de câncer em 20 de julho de 2000 e Lord Omar Khayyam Ravenhurst, ou Kerry Wendell Thornley, nascido em 17 de abril, 1938 e falescido em 28 de novembro, 1998 criaram o mote também base de uma filosifia moderna chamada Discordianismo:

"Tudo é verdadeiro, tudo é permitido". 

Diante da associação deste paralelo com a a filosofia oriental do Yin e do Yang, que nestes paralelos juntos representam a união e complementaridade entre os opostos, foi criado o conceito mais religioso do que filosófico do Caos. Para entendermos isto lembro que no meio da claridade do Yang existe um pequeno círculo de sombra de Yin e no meio da sombra do Yin existe um pequeno círculo claro de Yang, simbolizando o movimento contínuo e constante de evolução dos atributos de um para os do outro. Como características do yin: Manifestação, Magnetismo, Baixo, Dentro, Frio, Úmido, Escuro, Lua, Outono e Inverno, Terra, Metal, Fêmea, Tempo, Cores escuras, Passivo, Repouso, Negativo, Morte. Como opostas a energia magnética as características de yang: Energia Elétrica, , Cima, Fora, Quente, Seco, Claro, Sol, Primavera e Verão, Céu, Fogo, Macho, Cores claras, Ativo, Movimento, Positivo, Vida.

Esta assimilação entre o Discordianismo e a abordagem existencial do Taoísmo é muito mais abrangente do que uma hipocrisia a reverenciar o todo como um Deus externo que só quer o "bem" à humanidade, e Peter Carroll aproveitou e deu sua pitada de contribuição de discórdia ao discordianismo, adaptando sua filosofia caótica o mote de que:

"Nada é verdadeiro, tudo é permitido". 

Na prática o conceito de oposição é base para mentes humanas encaixotarem a realidade de opostos no crânio e assim facilitarem a mudança pela Magia do Caos pessoal com sucesso. Esta mudança do mote de Metaclypse e Ravenhurst também afasta o destino da nave para algo além da anarquia tão temida pelos cobradores de impostos .

Ninguém dá muita atenção a isso, mas a Magia do Caos tem até um perfil maçônico quando cria uma nova filosofia derivada de outra, para manter a ordem sob tutela de uma ordem mágicka, a I.O.T.. Porém o discordianismo se manteve e os descendentes filosóficos de Bakunin rompem periodicamente as paredes deste ovo piramidal de seis pontas, ou pirâmide para cima interna colada com a pirâmide para baixo externa. O nome deste animal feroz acordado pelo discordianismo chama-se liberdade, só que quando acordado este perfil só cresce, parecido com o da INFLAÇÃO ECONÔMICA. Na conclusão desta transformação do discordianismo para a TMC nota-se a manifestação do triângulo Ação, Reação e Responsabilidade como um passo evolutivo. O sonho humano de viver sua liberdade é sedutor, assim como Alexanders Bakunins, o nobre pai de Mikhail Bakunin flertou com a liberdade declarada na Revolução Francesa por Napoleão, mas depois de ver o que era isso na prática, nos levantes dezembristas voltou atrás e foi correndo para a aristocracia russa do Czar pedir proteção. Como reflexo prático desta teoria "Tudo é verdadeiro, tudo é permitido", o ser humano é capaz de se tornar vários tipos de monstros, até o momento que assume as suas consequências, real desenho do verdadeiro Caos.

Enfim... Para disciplinar esta volúpia liberal na família Bakunin, o pai tentou mandar para São Petersburgo o filho munido com o monstro da liberdade, com armas. Claro que este sábio Bakunin usou seus fartos recursos econômicos a vislumbrar liberdade prática em viagens a muitas localidades no mundo, mostrando e usando a teoria de que a arma não é a pistola que mata, mas o dedo que puxa seu gatilho. Num paralelo atual, o exemplo das pessoas drogadas dependentes em fase terminal que na sua viagem se acham feras ou fodões e cedo ou tarde ou vão para o necrotério sem volta ou se curam somente quando percebem que não é o traficante que lhes mata, mas o próprio usuário ao usar a droga se suicida 'aos poucos'. Infelizmente voltam ao ciclo quando não mais se controlam e se penduram em alguma crença dogmática como muro das lamentações, para sobreviverem diante de tanta sabotagem à própria vontade mas ainda em matrix. Por outro lado magos espertos tentam confinar monstros nascentes em e sob suas ordens, e muitas décadas depois criou-se assim a Iluminados de Tanateros a doutrinar praticantes da magia do caos de que devemos permanecer no Matrix, no "Nada", até que seus praticantes enxergam a luz e a sombra de seu interior e 'quebram' a casca deste casulo, retirando-se da "ordem" auto-declarada. Assim foi o exemplo de Frater U.D. na procura de sua própria liberdade no evento chamado Magia do Gelo.

Mas como conclusão este monstro da Magia do Caos tem capacidade de tudo, pode tudo, inclusive o que você quer, que ele seja 'belo'. Ele é você na realização de tua Vontade mais pura, desde que saiba viver com reações de tuas atitudes, saiba assumi-las, para depois usá-las a teu favor. O problema não é errar, é não se corrigir! Viver sob fantasias mentirosas do nada é uma política-máscara insolúvel que ainda nem chegou à vontade própria, a VERDADEIRA, na prática de submeter-se à escravidão do que os outros falam, do que os outros sentem e do que os outros proclamam. O Caos existe de fato, pagando a submissão aos valores impostos ou realizando a própria vontade, cabendo a quem vive aceitar usá-lo ou submeter-se à ele. Eu aceitei e partilho do que consegui em: https://clubedeautores.com.br/authors/19923

2 comentários:

  1. Ótimo texto, fiquei ainda com mais vontade de ler e estudar a magia do Caos,parabéns excelente blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado, amigo Andrew. Teu apoio me ajuda miuot.

      Excluir